Adopta-me
Adopta-me

Pretinho

Publicado a 17 · 7 · 2017

Gato - Europeu Comum
Idade: Bebé
Sexo: Macho
Porte: Pequeno
Pêlo: Preto
Esterilizado, Não Vacinado, Não Desparasitado

Por favor, se procura adoptar um gatinho de forma responsável, leia este meu urgente apelo.

Moro numa aldeia perto de Gouveia e infelizmente a miséria animal está por todo o lado. E eu nem sequer vou à procura, mas inevitavelmente (por ser tanta), volta não volta vem alguma bater-me à porta. E normalmente quando me envolvo acaba por “sobrar para mim”. E está realmente a tornar-se incomportável ter mais animais. Por isso este apelo é para o gatinho mas também para mim.

Comecei a tratar 5 gatinhos de rua que tinham uma doença que afeta olhos e vias respiratórias. Aliás, eu comecei por tentar não me envolver mas durou um dia (e no estado em que estavam não iriam durar muitos mais). Divulguei a particulares, associações, clínicas e coloquei anúncios na “Adopta-me” (que fui actualizando conforme eles iam ficando com melhor aspecto). Já dei, com relativa facilidade, dois gatinhos para adopção através da “Adopta-me” mas o estado em que estavam estes animais juntamente com a época de férias talvez não tenham facilitado.

Dois dos gatinhos acabaram por morrer (um da doença e o outro afogado num género de tanque na lixeira onde estavam a viver). A filha da dona destes gatos ficou com uma gatinha (sim, porque estes gatos têm dona, mas não me parece que seja o local para desenvolver este complexo assunto). Não pude evitar apesar de ter tentado. Vou garantir que a levo para esterilizar para pelo menos não perpetuar este sofrimento e tentarei ajudar naquilo que me permitirem. E sobrou um gatinho e uma gatinha…

Ainda não referi mas, desde que os gatinhos começaram a melhorar, comecei a passar muito mais tempo com eles para terem contacto com humanos, pois rapidamente se iriam tornar bravos (e aí sim, muito mais difícil arranjar adoptantes). Aliás, eles jamais me deixariam aproximar se não estivessem moribundos e quase a morrer. Fui investindo tempo sempre na esperança de encontrar alguém que os quisesse amar. E fui-me apegando não me querendo apegar. E tendo já 4 gatos e 1 cadela (quando o meu limite eram 2 gatos), passou-me pela cabeça que talvez pudesse ficar com apenas mais um…. (“o princípio do fim”).

Até que há uns dias o pretinho desapareceu. E os perigos são imensos. Pessoas, cães, raposas, carros…. E eu sabendo isso e sabendo também que, infelizmente tudo isto é uma gotinha no oceano e que não posso salvar todos os animais do mundo (até porque aumentando desta forma o número de animais que tenho, começo eu a perder qualidade de vida), não pude deixar de sentir uma enorme culpa pelo desaparecimento do gatinho… Mas como não aguentava mais ir tantas vezes à rua tratar dos gatos principalmente por ter de lidar com tanta ignorância humana relativamente ao assunto, e, como até já tinha pensado na hipótese de ficar com um, agarrei na gatinha e trouxe-a para casa.

Só que dois dias depois o pretinho apareceu. Não faço ideia o que aconteceu. Nem tão pouco tinha esperança que isso acontecesse. E eu já não tinha coragem de por lá a gatinha outra vez… mas também não podia deixar lá o pretinho… e, mesmo sabendo dos riscos que corro, trouxe-o para casa.

Sei que nunca tomei esta decisão pois não tenho feitio para ser “família de acolhimento temporário”. Apego-me demais. E acabam por ficar comigo. Mas sei que isso é um defeito meu e fui agora obrigada a tomar uma decisão em que tenho de lutar contra isso. A opção seria deixar o gatinho na rua. Só que com o tempo a andar, eu até posso passar por cima desse meu apego, mas não posso impedir o gatinho de crescer. E sei também que quanto mais crescer, mais difícil será arranjar dono para ele e, possivelmente, mais difícil a sua adaptação.

Tenho referido sempre “o pretinho” mas na realidade não tenho 100% de certeza de que é um macho. Tenho quase a certeza, principalmente pela sua atitude. Ele tem cerca de 2 meses, o pelinho curto, é pernalta e é o único que não precisava tanto do trabalho que fiz para terem contacto (positivo) com humanos. Sempre fugiu quando me via mas passado um bocado era o único que se aproximava de mim. Até que já subia pelas minhas calças de ganga até à cintura. É bastante “eléctrico”. Parece um macaquinho. Dá saltos no ar de 360º e aterra na mesma posição. É muito destemido. Ainda não fica muito no colo mas adora miminhos. Quando inicialmente o comecei a tratar achei que já não tinha um olho. De vez em quando ainda chora um bocadinho desse olho mas decididamente a medicina faz milagres. Está um gatinho lindo e saudável.

Sei também que o local onde vivo é bastante longe para a maior parte das pessoas mas, como me desloco a Lisboa de vez em quando (com toda a família animal), não seria de todo impossível eu puder entregá-lo. Daí eu colocar este anúncio em Lisboa para que tenha mais visibilidade. Quero também comprometer-me com a esterilização deste bichinho (lá para os 5/6 meses e daí ter colocado este animal como já esterilizado no anúncio) e gostava de puder acompanhar a adopção.

Se teve paciência para ler este meu apelo até ao fim, quem sabe nos pode ajudar…

Um grande bem haja.

Contacto para Adopção:
Nome: Joana Costa
Localidade: Lisboa (Lisboa)
Tel: 916035819
Email: mjotacosta@hotmail.com